Por Welbson Viana, Ministro da Palavra na Paróquia de São Judas Tadeu, em Belford Roxo.

A grande meta da quaresma é a Páscoa – festa central do cristianismo, ponto alto do ano litúrgico. Neste tempo, assumimos percorrer com Jesus o caminho da provação e da cruz, e vamos recebendo a força e a alegria do seu Espírito para proclamarmos a vitória da vida, enquanto lutamos contra todas as forças de violência, de injustiça e morte que, dolorosamente, persistem no mundo.

Temos a certeza que esses quarenta dias antes da Páscoa são um tempo de transcendência.  Sabemos que, sobretudo neste tempo, onde falamos de conversão de abstinência, precisamos buscar uma mudança profunda de nossos hábitos… Entretanto, o que precisamos de fato mudar em nossa vida? Em nossa sociedade?

Claro que, como cristãos, sabemos que precisamos e necessitamos ser mais dóceis, compreensivos, amáveis – estes são os princípios básicos de quem se diz cristão. Todavia, a Igreja, na quaresma, quer que levemos esses atributos para todas as circunstâncias de nossa vida.

Quando nos é apresentado o tema da Campanha da Fraternidade de 2011, “Fraternidade e a Vida no Planeta” e o lema “A Criação Geme em Dores de parto” (Rm 8,22), a idéia é “despertar e nutrir o espírito comunitário no meio do povo e a verdadeira solidariedade na busca do bem comum; educar para a vida fraterna, a partir da justiça e do amor, que são exigências centrais do Evangelho; renovar a consciência sobre a responsabilidade de todos na ação evangelizadora da Igreja, na promoção humana e na edificação de uma sociedade justa e solidária”. A CF 2011 exige de nós uma preocupação e um compromisso maior, pois defender a vida de nosso planeta é missão de todos nós que nos intitulamos cristãos.

A “conversão maior” que podemos alcançar nesta quaresma é termos a certeza que podemos mudar dados alarmantes que apontam que a poluição mata quase seis vezes mais que o trânsito, afetando pessoas com doenças respiratórias, como pneumonia, câncer de pulmão, enfisema e asma.

Com pequenos atos podemos modificar grandes realidades, a partir da certeza que sairemos de fato convertidos desta quaresma e aprenderemos a respeitar tudo e qualquer manifestação de Vida.

Comments

comments