Por que todos os “delatores do Lula” mudaram completamente os seus depoimentos e só fizeram isso após as “eternas prisões preventivas”?

Por que não é apresentada uma prova material se quer contra o Lula, nem por parte dos delatores e nem por parte do Ministério Público, mas contra o Aécio, contra o Temer, contra o Rocha Loures, contra quase todos os Ministros do atual governo sobram áudios, vídeos, contas no exterior, malas de dinheiro e farta documentação como provas e todos eles continuam livres, leves, soltos e cumprindo, inclusive, tranquilamente os seus mandatos?

É… pelo visto parece que para a turma do Temer e do Aécio, apesar das fartas e contundentes provas, faltam convicções. Já com o Lula…

Siga@robsonleite no Twitter
Acompanhe pelo Facebook
Robson Leite no Instagram

Em depoimento ao juiz Sérgio Moro nesta quarta-feira, 13, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a dizer que é inocente das acusações e criticou a perseguição do Ministério Público Federal contra ele.

“Eles [a força-tarefa da Lava Jato] inventaram que o triplex era meu porque ‘O Globo’ disse e não é, o senhor sabe disso. Agora, inventaram que o apartamento é meu, e não é, e eles sabem disso. Como inventaram a história do sítio, que é meu, e não é. Ou seja, três denúncias do Ministério Público por ilação, porque eles têm a ideia de transformar o Lula no power point deles”, afirmou Lula.

O ex-presidente disse que vai provar ser inocente e espera um dia receber desculpa do MPF. “Eu poderia ficar zangado, nervoso, mas eu quero enfrentar o Ministério Público, sobretudo a força-tarefa, para provar minha inocência. Eu só espero que eles tenham grandeza de um dia pedir desculpa”.

Ao final do depoimento, Lula questionou a imparcialidade do juiz Sérgio Moro. “Posso olhar nos olhos dos meus netos e dizer que prestei depoimento a um juiz imparcial?”, perguntou o ex-presidente.

É a segunda vez que Lula presta depoimento como réu em um processo da Lava Jato conduzido por Moro. A acusação é sobre um suposto pagamento de propina por parte da construtora Odebrecht.

Segundo a denúncia, a empresa comprou um terreno para a construção de uma nova sede para o Instituto Lula. A empreiteira também teria comprado um apartamento vizinho ao que o ex-presidente mora, em São Bernardo do Campo (SP). O imóvel é alugado desde 2002 e abriga, principalmente, os seguranças que fazem a escolta de Lula.

Fonte: Brasil 247

Comments

comments