Acaba de ser aprovado mais um ataque brutal do PMDB no Rio de Janeiro aos interesses dos trabalhadores e de quem vive no nosso Estado: a privatização da Cedae, empresa de tratamento e distribuição de água e de coleta e tratamento de esgoto. Com isso, o governo do estado inicia o processo de entrega de uma empresa estatal, que apresenta lucro no orçamento estadual, aos interesses do grande capital privado. Simplesmente para garantir um empréstimo de 3,5 bilhões de reais que apenas vai adiar o problema. Parece que a sincronia nefasta entre o Temer e o Pezão, ou seja, entre o PMDB do RJ e o PMDB nacional não tem fim. Entregam as nossas estatais, o nosso patrimônio, aos interesses do mercado financeiro… aos interesses do grande capital.

Nos anos 90, os defensores do terrível pensamento neoliberal defendiam as privatizações para que o Estado se preocupasse apenas com a saúde e a educação. A história mostrou que essa teoria era errada. E hoje, eles perderam a vergonha e conseguem ser ainda piores do que essa já ultrapassada e equivocada visão política, pois a saúde e a educação já foram entregues pelo PMDB nacional com o congelamento dos investimentos por 20 anos nesses setores proporcionados pela PEC 55. Privatizar agora é para entregar mesmo e de bandeja as nossas riquezas para o capital privado.

Triste cenário aonde o PMDB do RJ vende o futuro para tentar pagar o presente. Enquanto que o passado de isenções fiscais e associações do público com o privado ficam “escondidos debaixo do tapete”… E quem paga o pato? Somos nós que vivemos e trabalhamos no Rio de Janeiro…

 

Siga @robsonleite no Twitter
Acompanhe pelo Facebook
Robson Leite no Instagram

 

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) acaba de aprovar o texto-base enviado pelo governo do Estado do Rio de Janeiro, propondo a privatização da Companha Estadual de Água e Esgoto (Cedae). A proposta recebeu 41 votos favoráveis e 28 contrários.

Os deputados da base do governo, que são maioria, derrubaram hoje as 211 emendas apresentadas ao longo de duas semanas de debate, por meio do Colégio de Líderes. A expectativa é que ao longo da tarde sejam lidas até 20 emendas, apresentadas pelos partidos como destaques.

Durante a votação nominal, os deputados governistas afirmaram que a medida era fundamental para conseguir o alívio nas contas e conseguir pagar os servidores. A privatização da Cedae, apesar de controversa, é uma das contrapartidas exigidas pelo governo federal para aprovação do socorro às finanças do Rio e a suspensão do pagamento da dívida com a União.

Um medida temporária e irresponsável que não resolve o problema e apenas adia um pouco mais o sofrimento do Estado do RJ que, graças à gestão do PMDB, tem levado tristeza e sofrimento às famílias do RJ.

Fonte: Portal Terra e grifo nosso.

Comments

comments