É o que sempre alertamos: sem renda, não há consumo. Essa absurda reforma trabalhista que visa “diminuir o custo do emprego” vai atingir em cheio o mercado interno do país, já bastante avariado por causa da crise econômica. Retirar direitos e, por conseguinte, diminuir a renda do trabalhador, será mais uma bomba na nossa economia, com efeito terrível e duradouro ao longo dos anos. É como escreve o economista Marcio Pochmann: “Com reforma trabalhista empresários não terão a quem vender”.

Siga@robsonleite no Twitter
Acompanhe pelo Facebook
Robson Leite no Instagram

Marcio Pochmann, economista e professor da Unicamp, comenta a aprovação do regime de urgência para a votação da reforma trabalhista, marcada para a próxima terça-feira.

Pochmann destaca que a aprovação dessa reforma vai piorar a vida do trabalhador, pois, entre outros pontos, ela dá mais força ao empregador, o que vai dificultar a possibilidade de negociação.

O economista considera que a reforma não acabará beneficiando os empresários no Brasil: “O custo de contratação, é renda, é salário para o trabalhador. Portanto, se há redução desse custo, o empresário terá dificuldades de vender seu produto, prestar seu serviço, pois não há consumo, consumidor e demanda na economia como um todo para sustentar o aumento da produção”.

Leia mais: https://www.brasildefato.com.br/2017/07/06/o-custo-do-trabalho-no-brasil-e-menor-que-o-da-china-avalia-economista/

Comments

comments