A Comissão de Cultura da ALERJ, presidida pelo deputado Robson Leite, promoveu uma audiência para celebrar a reintegração dos músicos à Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB). O evento ocorreu no dia 15 de setembro, às 14h, no auditório Nelson Carneiro.

O violoncelista britânico radicado no Brasil e músico da OSB, David Chew, tocou na abertura do evento, que contou com a presença de vários dos músicos reintegrados, além da presidenta do Sindicato dos Músicos (SindMusi), Déborah Cheyne, dos diretores artísticos da OSB, Fernando Bicudo e Pablo Castellar, do diretor executivo da Fundação OSB, Sérgio Fortes, da musicista e diretora do SindMusi, Andrea Ernest, do veterano violinista, Virgílio Arraes e de Luzer Machtyngier, ambos da OSB, além de assessoria da deputada federal Jandira Feghali.

Robson ressaltou em sua fala a importância da cultura como agente de transformação social e disse que instituições como a OSB são ímpares e não podem acabar jamais.

Fernando Bicudo destacou o empenho de nossa Comissão da Alerj e do SindMusi em dialogar e construir de fato um acordo. Para o diretor artístico, a OSB é uma só: dois corpos orquestrais, a jovem, o coro, mas uma só orquestra.

Para a presidente do SindMusi e uma das músicas reintegradas, Déborah Cheyne, começa uma nova etapa da OSB: “Meu sonho desde pequena era entrar para a OSB, tocar e aprender com os grandes músicos dessa escola. Nesse sentido, para mim não existe uma nova orquestra, e sim um novo momento, uma nova fase da OSB, que vai possibilitar novas maneiras de se relacionar, outros modos de convivência”.

No discurso de todos os presentes um aspecto em comum foi sinalizado: a importância da Orquestra Sinfônica Brasileira, considerada verdadeiro patrimônio cultural do país.

Veja as fotos da atividade aqui.

*Com contribuição de www.sindmusi.org.br.

Comments

comments