Bruno Moreno – Advogado

Após o sucesso do Programa Universidade Para Todos – PROUNI, dificilmente algum político tem a coragem de se colocar abertamente e publicamente contra o Programa, fazendo com que neste ano eleitoral candidatos que são de oposição ao governo Lula digam que vão implantar propostas semelhantes. Serra inclusive chegou a falar que criaria um PROUNI do Ensino Técnico.

Tais declarações são extremamente contraditórias com as atitudes desta coalizão. Quem é a favor não entra com uma ação para tentar impedir o funcionamento de um programa, isto é certo. Pois foi justamente o que fez o DEM, partido do candidato a Vice Presidente na chapa de José Serra e de Cesar Maia, candidato a uma vaga pelo Senado pelo Rio de Janeiro. Não é demais lembrar ainda que o DEM é indiscutivelmente o principal aliado do PSDB desde o governo Fernando Henrique Cardoso.

O DEM, quando ainda se denominava PFL, ajuizou a ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade) nº 3314 contra o PROUNI, buscando com isso fazer com que o STF dissesse que o PROUNI desrespeitava a Constituição do Brasil. (Clique aqui para ver este documento)

Serra, Cesar Maia e Índio da Costa têm de se explicar sobre tal fato. Mas não só sobre este. Os dois primeiros são velhos conhecidos e claramente inimigos da educação.

Serra tratou os professores da rede pública do Estado de São Paulo mandando a tropa de choque da PM paulista para cima deles, sem falar que participou do governo que mais atacou a educação pública no país, precarizando inclusive as Universidades Federais, o governo FHC.

Cesar Maia por sua vez ficou famoso por instituir a aprovação automática nas escolas municipais do Rio de Janeiro. Não bastasse, perseguiu os pré-vestibulares comunitários no Rio de Janeiro, impedindo que estes funcionassem nas escolas municipais.

Robson Leite, como coordenador de pré-vestibular comunitário, lutou arduamente, juntamente com outros companheiros e estudantes, para que os prés pudessem voltar a funcionar nas escolas municipais. Felizmente o ex-prefeito não obteve êxito. Também felizmente a política aberta de aprovação automática foi derrotada, campanha da Robson também tive participou ativamente.

É pela inclusão promovida pelo PROUNI que sempre apoiamos o programa, por ser uma possibilidade de sucesso ainda maior à iniciativa popular dos pré-vestibulares comunitários.

Índio da Costa, responsável pelo contato com a juventude na campanha de Serra deveria também explicar: Porque seu partido é contra um programa que possibilitou a entrada de centenas de jovens pobres nas Universidades brasileiras?

Não se deixe enganar, Serra, Cesar Maia e Índio da Costa são contra o PROUNI, assim como são contra a educação pública de qualidade ou qualquer tentativa de organização popular que busque emancipar os jovens, como os pré-vestibulares comunitários. Sim, eles omitem e mentem!

Comments

comments