Em assembleia ontem (04/04) no Instituto Benjamin Constant (IBC), alunos, representantes da associação de pais, da direção e da associação de pais do Instituto Nacional de Surdos (INES), reafirmaram sua mobilização pelo não fechamento dos dois espaços de educação de pessoas portadoras de necessidades especiais. O Deputado Robson Leite e o Senador Lindberg Farias estiveram presentes, se comprometendo a defender a pauta na Alerj e em Brasília.

Recentemente, tornou-se pública uma resolução do Ministério da Educação que daria brecha para o encerramento das duas escolas. O motivo seria o fortalecimento da política de inclusão, onde os jovens portadores de necessidades especiais deveriam frequentar a rede regular de ensino.

Durante o encontro, a direção do IBC questionou a política de inclusão. Para a vice-diretora Maria da Glória Almeida, o processo deve ser feito com qualidade – colocar 100% dos jovens com deficiência na rede formal seria jogá-los em ambientes sem preparo para recebê-los. Ao invés de inclusão, o resultado seria segregação.

Glorinha, como é chamada no Instituto, defendeu também uma mudança de atitude do Ministério:

– Posições arbitrárias como esta não podem continuar. Vivemos em uma democracia e exigimos diálogo.

Robson Leite, em sua fala, reafirmou seu compromisso de defesa das instituições, e garantiu que tratará do assunto na Comissão de Educação e de Portadores de Necessidades Especiais da Alerj. Mas, além disso, defendeu a continuidade da mobilização de pais, professores e alunos:

– O Ministério já recuou, e afirmou que se tratava de um mal entendido. Mas existem diversas formas de se fechar uma escola e a falta de investimentos é uma delas. A mobilização de vocês é essencial para que todas as reivindicações sejam aceitas, inclusive o aumento de verbas.

Veja as fotos da assembleia aqui.

Comments

comments