O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou hoje pesquisa que mede a percepção social sobre a educação no Brasil. Dois resultados chamam especial atenção.

O primeiro é a grande aprovação do Prouni, programa que oferece bolsas de estudo em universidades particulares a jovens de baixa renda que estudaram em escolas públicas ou em instituições privadas com bolsa durante o Ensino Médio. Sete em cada dez brasileiros defendem a ampliação do programa, que já atendeu 748.788 estudantes desde 2005 até o fim do ano passado.

Entre as ações em educação incluídas na pesquisa do Ipea, o ProUni foi considerado o de “maior visibilidade social”: mais de 60% dos entrevistados afirmaram conhecer o programa. Esse dado se torna ainda mais impressionante considerando que 80% destes não eram bolsistas nem parentes ou amigos de alunos beneficiados pelo programa.

O outro ponto que chama a atenção na pesquisa do IPEA é a maior sensação de melhora da educação pelos grupos menos favorecidos da população, como os de menor renda e escolaridade, os negros e negras, e os quem vivem nas três regiões onde se concentram historicamente os piores indicadores educacionais do país – Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Segundo a análise, de uma forma geral 48,7% da população considera que a educação melhorou, enquanto 27,2% acredita que a situação permaneceu igual e 24,2% percebe uma piora no serviço.

Mas esses índices sofrem alterações entre as faixas de renda: entre os que ganham até dois salários mínimos, 49,5% acreditam que as condições hoje estão melhores e somente 19,3% acreditam que houve uma piora no ensino. Já entre os que ganham acima de 20 salários mínimos, o percentual de quem sente uma melhora no serviço cai para 46,7% e de que percebe uma piora sobe para 29,3%. A pior percepção de melhora ficou entre os que recebem entre dez e 20 mínimos: 43,4%.

Entre os negros e negras, 50,9% sentiram uma melhora na área; já entre brancos e brancas apenas 46,4% perceberam aumento na qualidade na educação.

Esse resultado certamente é fruto de programas de inclusão e de acesso, nos quais se incluem políticas afirmativas, como as cotas e o próprio Prouni.

Veja aqui a apresentação do Ipea com os dados completos da pesquisa.

Comments

comments