O Deputado Robson Leite propôs ontem (10/03) na Alerj projeto de lei que proíbe o envasamento e a comercialização de bebidas em embalagens PET, e à base de plástico em geral, no Rio de Janeiro.

Robson lembrou que, há menos de 25 anos, ao comprarmos refrigerantes, levávamos para troca o casco da antiga garrafa, de vidro. Deixávamos as garrafas vazias e recebíamos as garrafas cheias. A logística de reaproveitamento da embalagem era então feita pelas próprias indústrias de bebidas.

Com a mudança para a garrafa PET, de plástico, estas empresas transferiram para a sociedade o custo logístico do trato das garrafas. Ou seja, as indústrias de refrigerantes, num ato unilateral, sem consultar o poder público ou a opinião pública, passaram parte da responsabilidade de sua produção para a sociedade. Processo este que teve um custo muito alto para nossas vidas.

– Hoje, basta olharmos para o Rio Maracanã quando há enchente. As garrafas PET estão entre os principais materiais que entopem as nossas galerias, e que lotam os lixões. É uma agressão ao meio ambiente – afirmou o Deputado.

Robson destacou ainda que, hoje, grandes indústrias de bebidas alcoólicas, como as de cerveja, também estão preparando a migração para o sistema de garrafa PET. Isso aumentaria ainda mais impacto no ambiente causado pelo material.

O Deputado afirmou saber que o projeto é polêmico, e fez um apelo para que seja discutido seriamente na Assembleia:

– A nossa sociedade não aguenta mais esse padrão de consumo desenfreado, não sustentável. Hoje, o grande capital pauta a sociedade, e, muitas vezes, também o poder público. Espero que possamos travar um bom debate aqui na Alerj, para que, ao menos no âmbito do Estado do Rio de Janeiro, seja revisto o uso dessas garrafas. É uma medida simples que pode fazer muita diferença.

Acesse o Projeto de Lei aqui.

Comments

comments